27 de setembro de 2008

Cronaca romana - Dia 12º "Il desiderio di tornare, sempre!"

video

E como Roma é um filme por si só, esta cena não podia faltar. Ontem à noite, em acção de graças pelo trabalho terminado, cumpri religiosamente o ritual da oferenda a Neptuno, na Fontana di Trevi.

E niente... Oggi è il giorno della partenza. Arrivederci Roma!

P.S. Investido de especiais indulgências conferidas pelo grémio dos servos de Neptuno, posso garantir que a visualização atenta deste vídeo por quem tiver fé no deus dos mares permitirá conhecer ou revisitar a Cidade Eterna, e quem sabe navegar tranquilamente pelos mares do Egeu.

25 de setembro de 2008

Cronaca romana - Dia 10º "Fiori del campo"


@ Viajante

Já estava no autocarro a caminho de casa, sentia-me muito cansado e de cabeça cheia de letras, computador, gestos mecânicos e de pesquisas marcadas pelos horários sempre apertados do arquivo. O fim de tarde mostrava-se sereno, o sol poente acentuava os tons ocre dos prédios e as esplanadas seduziam para o ritual tão italiano do aperitivo antes do jantar. A sensação de exaustão e aquele autocarro cheio, sujo e barulhento começou a deprimir-me. Não me apetecia por nada ter de enfrentar uma hora de pára e arranca, de gente a atropelar-se dentro daquele espaço exíguo e desconfortável. Como sempre faço deixei-me ficar junto à porta para ir apanhando um pouco de ar menos saturado. Num certo momento a porta abriu-se e à minha frente vi uma placa que dizia “Campo dei Fiori”. Dei-me então conta que estava aqui há dez dias e ainda não tinha ido ao campo, àquele espaço que, tal como a Piazza Navona, faz parte da minha Roma, daquela outra cidade que me conforta e me faz sorrir. Não quis saber, dei um pulo do autocarro e saí daquele prometido inferno. Fui até ao campo. E estava certo, bastou-me uma hora sentado na base da estátua de Gionardo Bruno, para esvaziar a cabeça e assim aliviar o cansaço, enquanto observava a gradual transformação da praça para mais uma noite de diversão e romance. E ainda tive direito a um bónus, um bónus excepcional; ao entrar no campo encontrei o mesmo guitarrista russo que em Julho, na Piazza Navona, me deixou maravilhado pela sua postura intimista e pelo repertório de primeira escolha.
Sai do Campo dei Fiori renascido, reconciliado com as poucas horas de sono e com as muitas horas de computador e de arquivo. Estava pronto para de novo me oferecer volentieri aos leões do Coliseu.

Cronaca romana - Dia 9º "Sogni e nostalgia"


@ Viajante

Optei por cruzar a Praça de S. Pedro um pouco mais a cima, perto da escadaria da entrada da basílica, para evitar os atropelos e o constante permesso rogado às hordas de turistas que se acumulam pela colunata. Contente por finalmente poder andar em campo aberto, eis que sou abordado por um oriental para o costumeiro “could you take a picture?”. O rapaz parecia nervoso e com dificuldade entendi que a foto deveria ser tirada de frente para a igreja. Ao preparar-me para o click levo um murro na barriga. O rapaz havia tirado da mochila uma capa preta com aplicações bordadas a seda clara e abriu-a, mostrando de um lado uma lindíssima foto dos anos 50-60, a preto e branco, com um casal jovem de mãos dadas, a par de outras duas imagens mais recentes de cada um deles, também a preto e branco, mas com um ar muito mais envelhecido. A composição tinha um aspecto muito digno e terno. Não entendi de imediato o significado mas percebi que se tratava de algo especial e íntimo. Fiz então a foto com cuidado, ao que o rapaz me agradeceu com uma vénia muito cerimoniosa. À minha pergunta esclareceu-me que eram os pais, chineses cristãos, a quem um dia antes de falecerem prometera cumprir o sonho que não eles puderam realizar - visitar a igreja mãe. Com isto emocionou-se a olhar para as fotografias. Embaraçado, sorri-lhe um pouco e segui o meu caminho igualmente comovido. Parei um pouco mais à frente e olhei para trás, encontrei-o ajoelhado diante do seu tesouro e da sua saudade…

22 de setembro de 2008

Cronaca fiorentina - Dia 7º "Il potere dell'arte"


David de Michelangelo, 1501 (@Viajante)

Como previsto o domingo foi dedicado a Florença numa visita sem qualquer plano prévio a não ser o de ver a exposição "L'eredità di Giotto: arte a Firenze 1340-1375", patente nos Uffizi até Novembro. Dei por muito bem empregue a hora e meia em que estive na fila para entrar no museu e as horas em que caminhei sem destino pela cidade, apenas pelo puro prazer de sentir o poder da arte e da arquitectura e de como estas manifestam o que de mais precioso tem o homem, a liberdade de criar e de se reinventar.

Despedi-me de Florença no sítio do costume, bem lá no alto, donde se percebe que Nova York começou aqui, no século XIV.


Vista da Piazzale Michelangelo (@Viajante)

20 de setembro de 2008

Cronaca romana – Dia 6º "Sabato Sera"


Pantheon, stasera...

Depois de uma manhã de trabalho chegou finalmente a oportunidade tão desejada, de poder desfrutar calmamente do centro da cidade e de locais que revisito sempre com imenso prazer, como a mística Piazza Rotonda e o Pantheon. Deixei-me ficar por ali a fotografar e a apreciar o entardecer e, claro, não resisti e sentei-me numa das esplanadas a beber um demorado prosecco. Um fim de tarde inesquecível como tantos que Roma sabe proporcionar a quem a ama.
P.S. O dia 5º foi de chuva, uma chatice, parecia Inverno, felizmente hoje o sol voltou com promessa de continuar a brilhar amanhã para os lados da Toscana.

18 de setembro de 2008

Cronaca romana – Dia 4º "Manifestazione"



Tanto reclamei por uma que me fizeram o jeito e logo por casualidade em frente a uma igreja, tal como pedira. A coincidência foi tal que me fez levar a pensar que começo a ter algum peso na vida cívica da SPQR.
A verdade dos factos é que não há dia nenhum, eventualmente nas festas do Natal e da Páscoa, que não haja uma manifestação nesta cidade. Afirmo mesmo que é o estado normal de Roma, sempre em manifestação. O resultado è il casino di solito: polícia de choque por todo o lado (eles adoram exagerar), corte de ruas como se o Berlusconi tivesse resolvido ir às compras (aqui é assim, bloqueiam as ruas e mais nada), alteração do percurso dos autocarros sem prévio conhecimento dos condutores e dos passageiros, deixando as velhinhas em pânico porque lhes mudaram as voltas. E isto para não falar do inevitável caos que se instala no trânsito. E como dizem os nossos “irmãos” toda esta algazarra para nada, pois tudo acaba em pizza, também como de costume.
A propósito, a manifestação era das senhoras de má vida que o novo síndaco de Roma resolveu mandar multar por andarem a fazer parar o trânsito nas estradas da periferia. Uma delas desesperada, por no primeiro dia de aplicação da lei ter sido multada em mil euros (5x200€), disse aos jornais que para uma outra vez não atendia o síndaco, nem ela nem as suas companheiras da associação.
Enquanto isso vou preparando-me para ter nos próximos dias mais surpresas no caminho para o trabalho. É que mesmo que hoje não seja decretada a falência da Alitalia irão ser despedidos milhares de funcionários nas próximas semanas. Por isso já estou em conversações com SS para me emprestar o helicóptero papal, recém renovado com estofos Prada e decorado pelos irmãos Dolce & Gabana. E eu que sou mais Armani, que chatice!

17 de setembro de 2008

Cronaca romana – Dia 3º "Autobus dei desideri"



Eu já tinha estranhado não ver estampado nos painéis publicitários da cidade a onda grega que tem feito as delícias dos lusitanos e não só. Por isso bem podem imaginar o meu ar de felicidade quando, ao terceiro dia (timing bíblico), dou finalmente de caras com o autocarro oficial dos nossos amigos, parado bem em frente a uma loja de santinhos. Pensei de imediato que aquela visão se tratava de um sinal enviado pelo Senhor de que os desejos estivais para 2009 iriam ser realizados. Agradeci a bênção e lá segui o meu caminho feliz e contente cantarolando o “Mamma Mia”, música prontamente reconhecida por uma freira que olhou para mim com ar cúmplice e simpático (coisa rara!!!), enquanto esperávamos a nossa vez de entrar no Vaticano. Acreditem que estive quase para lhe perguntar se ela não queria inscrever-se numa viagem de oração, que uns certos peregrinos lusos querem fazer ao maravilhoso mundo do Egeu. Mas acanhei-me… Sou muito tolo! Nunca se sabe, uma freira também poderia dar jeito na excursão!

16 de setembro de 2008

Cronaca romana – Dia 2º "Troppo presto"


S. Pedro, esta madrugada...

Já estou como o outro dos Jogos Olímpicos, a manhã fez-se para dormir... Tenho acordado às seis da matina para ser dos primeiros a entrar no arquivo, que abre às 8:15. Hoje exagerei na observância e às 7:40 já estava a olhar para as pombas que acabavam de limpar a praça. É a melhor hora para admirar todo aquele recinto, sem multidões, sem rebanhos, sem vendedores do templo. O problema é não sou parente do professor Marcelo e preciso de dormir umas sete a oito horas, coisa que de todo tenho conseguido fazer. Resultado, ando literalmente a cafés, os deliciosos e curtíssimos cafés italianos, que são uma autêntica bênção e me têm permitido manter o ritmo de leitura de cerca 3500 registos da chancelaria apostólica por dia. A coisa tem corrido tão bem que já consegui bater os alemães no livro de ponto do arquivo e conquistar o reconhecimento dos funcionários da portaria, sempre prontos a cascar nos "tedescos". Estou a bater-me a uma medalha, é certo, e assim terá de continuar, sob protesto, repito, porque para mim a manhã fez-se para dormir, pelo menos até às 7:30!
Buona notte, è ora d'andare a letto

Cronaca romana – Dia 1º "Bem pregas tu Frei Bento!"


.
Um dia hei-de chegar a Roma e em vez de funcionários da Alitalia sentados no chão do aeroporto em protesto pela inevitável falência da empresa, gostaria de ver os padres, irmãs, irmãos e a multidão dos enteados da Casa do Senhor em passeata à porta de S. Pedro, gritando palavras de ordem, exigindo, reclamando, manifestando. Melhor visão do Paraíso não existirá. Bem, existir existe mas é preciso primeiro destruir o silício e a hipocrisia e só depois mostrar o cinto de ligas. Julgo mesmo que a militância pela ortodoxia e pelo tradicionalismo dos costumes imposta pelo papa Rati, para celebrar a entrada em beleza da Igreja no novo milénio seja sobretudo um discurso direccionado para dentro, para sanar o pânico provocado por alguns focos de rebeldia.

Imagino que Sua Santidade (SS), homem douto e de grande inteligência, tenha percebido a eminência da revolução e a forte probabilidade do advento de uma herética "Nova Igreja do Amor Praticado Todos os Dias". Um produto mais adequado ao novo tempo e congregador de todo o rebanho, e não apenas das ovelhas aparentemente tosquiadas. Estará SS assustada com este cenário? Ou o susto tem a ver consigo mesma e com a partida que o Espírito Santo lhe pregou? Em crise existencial não duvido que esteja, sobretudo depois da dedicatória coreografada que a Madonna lhe fez da canção ícone "Like a Virgin", no concerto realizado aqui em Roma, na semana passada. Dizem as más-línguas que SS não resistiu à sensualidade da pop star deslocando-se ao Estádio Olímpico usando o disfarce de vendedora de fancaria da Prada (a sua marca preferida). Até pode ser boato de gente sem fé, todavia não restam dúvidas quanto a SS ter sido vista estes dias em Paris a saudar com grande calor e afecto o casal Sarkosy (o exemplo de bom pai de família promovido pelo Vaticano) e a bela cantora modelo italiana Carla Bruni, de ar cândido e saia abaixo do joelho, que em tempos declarou a uma revista que achava a monogamia um aborrecimento.

A corroborar este quadro de esquizofrenia pura está a cena que presenciei hoje a dois paços da praça de S. Pedro. Teria merecido uma fotografia frontal, mas os visados exigiam dinheiro pelos direitos da publicação. Por isso espero que acreditem em mim. A irmã do lado esquerdo, a que tem botas de plataforma para disfarçar a pouca altura (digo eu), apresentava um par de óculos escuros muito fashion e maquilhagem de fazer inveja à Maria Antonieta. O irmão trazia uma carteira muito suspeita e a companheira de route do lado direito... Bem, essa devia estar a ser iniciada nas artes da via-sacra. E lá foram estes três herdeiros do Woodstock romano, vulgo Concílio Vaticano II, lembrar os velhos tempos passados na praça de S. Pedro quando cantavam o Yellow Submarine e o resto do cancioneiro do Flower Power. Estavam eles longe de imaginar que 40 anos depois voltariam a ver o papa vestido de arminho e todo mordido por não se poder passear in piazza de liteira transportada por escravos núbios oferecidos pela rainha de Sabá.

Fiquei surpreso com a modernidade e a ousadia, mas logo me lembrei que SS estava fora a pregar em França. Amanhã já estará de volta ao terreiro e tudo voltará à beatitude saloia do costume.

Cordiali saluti.

13 de setembro de 2008

Meravigliosa creatura...


Roma (IT), Dez. 2007

Amanhã mais ou menos a esta hora já estarei de novo a aterrar em Roma. Não foi possível concluir o trabalho no passado mês de Julho e por isso houve que redesenhar o calendário e programar mais duas semanas que se adivinham de intenso labor lá para as bandas do costume: o Arquivo do Vaticano e as bibliotecas romanas. Tabalharei todos os dias excepto no domingo (dia santo graças ao Criador) que de tão santo talvez me deixe ir até Florença tomar um café à Galleria degli Uffizi e ver esta exposição que trago debaixo de olho.
Pouco antes do final do mês já estarei de regresso a terras lusas. Até lá continuarei atento aqui ao "escritório" e tratarei de ir aggiornando as novidades sobre o projecto, que por ora ainda não tem nome oficial e por isso baptizei provisoriamente de "All we have a dream".
Fiquem bem, não deixem de continuar a sonhar e a sorrir.
Arrivederci amici!

11 de setembro de 2008

All we have a dream



Quero expressar, com bastante emoção, a minha alegria pela forma como todos receberam esta ideia. Sonhar é importante e mais importante ainda é lutarmos pela realização do sonho. Querer é poder, eu acredito nisso e a prova está em ter conseguido em dois dias reunir um grupo de amigos e amigas (12 pessoas, tudo gente bonita e de bem com a vida), que sem muitos mas nem todavias, aderiram prontamente à ideia.
Obrigado e bem-vindos a bordo, agora é navegar rumo à concretização do sonho.
Afinal, ALL WE HAVE A DREAM!!!

Vista para a caldeira, Santorini (GR), Ago. 2005

NOTA: Em reunião plenária foi decidido alargar as pré-inscrições a 15 elementos, por isso continuam abertas as inscrições. Os demais interessados são bem-vindos e ficarão na lista dos suplentes até à escolha definitiva da embarcação e do número definitivo de passageiros. Ninguém está excluído à partida. E preparem-se que ideias não me faltam. Já estou em conversações com a SIC e com a TVI para vendermos os direitos de transmissão das nossas farras, de modo a pagarmos as nossas "biages".

10 de setembro de 2008

I have a dream


Ferry de Atenas - Santorini (Gr) Ago. 2005

Algumas pessoas que me conhecem sabem que tenho este sonho atravessado há muito tempo. Ora então aqui vai e se me quiserem chamar maluco têm toda a razão, mas a vida é para ser vivida e mais nada. Para o ano abro as inscrições para dez dias de cruzeiro pelo Egeu e pelas Cíclades, em veleiro com tripulação e cozinheiro, porque a malta não vai para trabalhar, com itinerário escolhido de acordo com o humor dos passageiros, que para evitar "atropelos" não deverão exceder as 12 pessoas. De preferência amigos que estejam de bem com a vida, gostem de aventura e de se divertirem, apreciem as coisas simples e belas que os deuses nos oferecem e tenham muita vontade de escrever na agenda a letras "bem dispostas": Verão de 2009 - Grécia!
Quem já foi ver o "Mamma Mia" sabe do que estou a falar, e quem ainda não foi e está interessado na ideia faça o favor de ver as instruções, ou melhor, o filme, pois que daqui a uns meses ponho edital na porta, ai ponho ponho. E seja o que os deuses quiserem! :)))

P.S. Nada de pensamentos ímpios do género - o gajo foi ver o filme e entusiasmou-se, tadinho. I'm talking serious.

.
Consegui finalmente uma imagem de um dos barcos (6 cabines) que fazem este tipo de viagens.
Que tal?

7 de setembro de 2008

Greek style


Santorini (GR), Ago. 2005
.
Muito bem, admito, pode ser piroso, pode ser kitch e até pode ser lamechas. Mas é divertido, dispõe bem, o cenário não podia ser melhor e estou mortinho para ir ver o filme "Mamma Mia!". Amo a Grécia de paixão e não resisto à música destes génios, os ABBA!
A culpa é da senhora minha mãe que me fez lavagens cerebrais em pequenino com quatro cassetes do grupo sueco a rodar em permanência no leitor do carro. Até que um dia o Fiat 600 foi assaltado mas só desapareceram as ditas cassetes. Nos dias seguintes fui olhado com alguma desconfiança, felizmente a suspeita passou rapidamente quando lhe confidenciei que já tinha saudades do Fernando... :))))
Tenham um bom domingo e uma excelente semana!!!!!!!!!

.

Oia - Santorini (GR), Ago. 2005
O terraço do restaurante onde comi a melhor salada grega de sempre, com uma vista para o Egeu de tal ordem que nem ouso mostrar para evitar um novo Waterloo ;=) Lembram-se de um certo moinho Blanc bleu? Pois esse era apenas um pormenor do cenário...

3 de setembro de 2008

Summer wine


@ Viajante, Ago. 2008

Dance time with our lips.

1 de setembro de 2008

No sense, maybe


@ Viajante, Ago. 2008

A bem dizer hoje é o primeiro dia de Setembro e não me apetece nada, mesmo nada, que a «silly season» diga «the end» e falte pouco mais de três meses para o fim do ano. Se o PSD sempre se decidir pela extinção vou propor ao presidente da Assembleia da República a constituição de um grupo parlamentar alternativo, com o nome de "O meu maravilhoso mês de Agosto". Bem adequado ao nosso país e às nossas gentes, não acham? Assim viveríamos todos felizes e contentes e quem sabe se eu não teria a minha primeira e última oportunidade de ser parlamentar!?
Ah, o gato? :)) Felizmente o Zé Carlos, de seu nome, é um bichano malhado e danado para a brincadeira, além de inofensivo desde que devidamente gratificado com fatias de fiambre logo pela manhã. E embora a foto não o demonstre, talvez por motivos narcísicos (ops), gatos, então destes assim a modos que para o escuro, gosto de os olhar de frente. Figas!